FALANDO DE SENTIMENTOS – DÚVIDA

DÚVIDA

Por Beatriz Breves

O sentimento de dúvida, na medida equilibrada, funciona como um instrumento de capacidade avaliadora e crítica. Mas quando ao extremo, consome.

A pessoa já não sabe mais o que sabe e muito menos o que quer. A angústia invade e a incerteza domina.

Poderia ser diferente? Sim, talvez e não…. Todavia, as três possibilidades podem ser falsas ou verdadeiras.

A pessoa não se autoriza na escolha. Permanece perdida em si mesma.

Agrega-se à insegurança o conflito, que exige certezas antecipadas perante as incertezas do que ainda não aconteceu.

Concluo que o sentimento de dúvida, se levado ao extremo, faz um dueto com o medo que se possa ter da vida.

Você também pode se interessar por: