SOBRE O SENTIMENTO DE INVEJA

A inveja talvez seja um dos sentimentos mais temido pelas pessoas, visto que representa o desejo de se ter aquilo que o outro tem e, não somente isto, mas, principalmente, de destruir pelo ódio o que o outro tem. Desta forma, a inveja se torna um sentimento bastante difícil de lidar, pois, assim como um ácido é capaz de corroer um metal, ela é capaz de corroer o outro e a pessoa que a sente.

Muitas vezes a pessoa não quer sentir inveja, mas não consegue, torna-se um sentimento mais forte do que ela. Em contrapartida, para quem está sofrendo o ataque de inveja, por se tratar de um sentimento muito destrutivo, se torna muito difícil conter o ódio que emerge de dentro si, reativo a tal situação. E é aí que poderia morar o maior perigo, pois ao contracenar com o seu agressor, a pessoa, por ressonância, amplifica em si mesma a vibração do sentimento de ódio oriundo do outro, tornando-se desta forma um alvo muito mais vulnerável para quem está lhe agredindo.

Portanto, ter consciência da própria capacidade de odiar e invejar e, também, do quanto pode ser odiado e invejado é positivo e prudente, até porque o ódio e a inveja fazem parte dos sentimentos humanos e, sendo assim, precisam ser compreendidos, acolhidos e transmutados para que a pessoa possa se expandir enquanto gente, não se tornando um alvo fácil de sua própria capacidade destrutiva e da capacidade destrutiva do outro.

Esta entrada foi publicada em Ciência do Sentir on-line por Beatriz Breves. Adicione o link permanente aos seus favoritos.