POEMA DOS VERSOS SOLTOS

Está difícil capturar os versos e coloca-los nesta folha de papel.
Os versos conversam na conjuntura de múltiplas imagens.
O pensamento vira um carrossel
Abreviando e articulando diversas montagens
E os verbos, os adjetivos, os substantivos se sobrepõem
E as palavras se desprendem das consoantes, das vogais e voam.
Rodopiam e posam formando outras palavras.
Novos versos, outro sentido e sentir
Um suspiro…
Um final.
A poetisa imortal.
Basta uma lagrima em cada olho,
Para meus olhos se enchem d’água.

Esta entrada foi publicada em Poemas Prosas Poesia por Virginia Sampaio. Adicione o link permanente aos seus favoritos.