JOÃO E MARIA

Os dois eram muito apaixonados viviam igualzinho  como vivem Deus e os anjos.
Ela era alegre, feliz e gostava de cantar, dançar  passear  se vestia bem e era uma pessoa do bem.
Ele era encantado por ela. Não tinham filhos, os dois se bastavam.
Mais um dia, não se sabe porque, ele começou a mudar.
Implicava com a alegria dela.
Acabou aquela convivência feliz.
Ele reclamava de tudo e ela foi se sentindo sufocada.
Um dia os dois estavam brigando e ela gritou: “já não suporto mais,  você precisa fazer um tratamento”.
“Tratamento porque? Eu não estou doente”.
“Está sim! Você tem, como dizem os psicólogos, uma ferida narcísica”  “Ferida? Que ferida? Eu não tenho ferida nenhuma. Olha para mim”
“A sua autoestima está  lá embaixo”.
“O que é isso?
“Vai no psicólogo que ele te explica meu bem”
E João foi.
Eu não sei o que aconteceu porque é segredo profissional.
Eu somente sei o que Maria, tempos depois,  falou para o João.
“Eu te amo, só sei dizer que eu te amo, é amor é amor…

Esta entrada foi publicada em Era Uma Vez... on-line por Iris Seródio. Adicione o link permanente aos seus favoritos.