Falando de Sentimentos – O Ciúme (Ciência do Sentir on line)

O ciúme na relação se equivale ao sal na comida: se muito, estraga; se pouco, deixa a relação sem graça; e se na pitada certa, agrada ao paladar.

Mas é curioso que muitas pessoas não têm consciência desse sentimento e afirmam categoricamente que não sentem ciúme. No entanto, costumam dizer que não sentem ciúme, falando: o “meu” marido, a “minha” companheira, o “meu” amigo, a “minha” mulher e etc.

É fácil observar que o sentimento de ciúme anda de braços dados com o sentimento de posse. Não há ciúme sem posse, não há posse sem ciúme. E, também, que meu, minha, meus e minhas são pronomes possessivos. Assim, o simples fato do uso de pronomes possessivos para se referir a pessoas, já determina o sentimento de posse e, portanto, de ciúme.

Então, se você costuma dizer: o MEU ou a MINHA em relação a alguém, você pode se considerar, senão totalmente, pelo menos em potencial, uma pessoa ciumenta.

Mas vamos e venhamos, tal como o sal, uma pitada de ciúme na relação dá um “Q” de sabor e não faz mal a ninguém.

Beatriz Breves

 

Esta entrada foi publicada em Ciência do Sentir on-line por Beatriz Breves, Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.