ERA UMA VEZ

Uma aldeia de índios onde tudo era de todos. Lá não havia “é meu” e sim “ é nosso”. Até os filhos eram de todos. Tudo era dividido. E todos eram muito felizes.
Simples assim.
Um dia nasceram duas crianças, no mesmo dia e na mesma hora, um menino e uma menina.
A mãe do menino deu o nome de Rudá (divindade do amor).
A mãe da menina deu o nome de Yara (Senhora das águas) ou ( dominadora).
Os dois cresceram juntos e eram muito amigos.
Se amavam e todos esperavam que um dia eles se casariam.
Mas o tempo foi passando,passando…..
Yara era uma linda moça alegre divertida .
Rudá ao contrario, era serio fechado em si mesmo….
Queria por que queria que ela fosse mais quieta,que não fosse tão comunicativa …
Ela não obedecia…Cada vez mais os dois se afastavam um do outro…
Até que um dia Rudá resolveu acabar o namoro e ela gritou: “você precisa saber que todos nós temos uma luz própria e amar é deixar que a luz do outro brilhe.”
Os dois se abraçaram se amaram e foram felizes para sempre…..

Esta entrada foi publicada em Era Uma Vez... on-line por Iris Seródio. Adicione o link permanente aos seus favoritos.