A MALDADE HUMANA III – CIENCIA ON LINE ESPECIAL DE JUNHO – 15/06/14

A MALDADE HUMANA III
Por Beatriz Breves e Virginia Sampaio

O ESPETÁCULO – Trolls, haters e cyberbullying (1)

(…) A trollagem é um jogo na internet cujas peças são as pessoas. (…) O jogo consiste em, estando escondido por detrás de seus computadores, escolher uma vítima (…) para manipular e desestabilizar (…) O troll se diverte com o simples fato de estar manipulando, com o fato de estar irritando pessoas ou provocando grandes brigas entre pessoas. Como um jogo de xadrez, a trollagem também possui a sotisficação de estratégias e táticas.
(…)
Haters são pessoas que, estando por detrás de seus computadores, se sentem confortáveis para tudo e a todos odiarem. Sua diversão é atacar a opinião do outro, sem se importar se acredita ou não naquilo que está falando. (…). Odiar por odiar, este é o lema.
(…)
O bullying evolui na internet para cyberbullying, que é caracterizado como “uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar o outro”. (2)
(…)
O cyberbullying é considerado, por especialistas, uma prática mais cruel do que o bullying, pois, (…) os ataques não se restringem ao espaço escolar – eles vão além, deixando o jovem bastante vulnerável e impotente. E ainda tem o agravante de o cyberbullying, diferentemente do bullying, permitir o anonimato do agressor.
(…)
Até onde isso pode chegar se não pudermos tomar ciência e discutir abertamente o que está levando nossos jovens a agirem dessa forma? E os pais desses jovens? Como seria possível acompanhar um adolescente – que, por sua própria natureza de adolescente, é rebelde – e impedi-lo de tal prática em um campo, como é o do mundo virtual, onde não se tem domínio de quem é quem, de onde se está e, muito menos, do que se diz?
(…)
Sem dúvida, o espetáculo da crueldade tem sido transmitido diretamente pelas redes sociais, com cada vez mais e mais pessoas aderindo a ele, sem a menor noção do crime que estão cometendo, pois estão matando – se não de fato, moralmente – pessoas.

(1) Trecho do Capítulo Espetáculo – Livro a Maldade Humana – pg. 47 e 60.
(2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Cyberbullying

Referencia Bibliográfica

Breves, Beatriz e Sampaio, Virginia. A Maldade Humana – Como Detonar uma Pessoa no Facebook – Baseado em uma História Real. p.47-60. RJ:Mauad X.2014.

Esta entrada foi publicada em Ciência do Sentir on-line por Beatriz Breves. Adicione o link permanente aos seus favoritos.